Última hora

Última hora

Noruega: "impossível esquecer o ruído daquela explosão"

Em leitura:

Noruega: "impossível esquecer o ruído daquela explosão"

Tamanho do texto Aa Aa

A imprensa norueguesa desta manhã começa, pela primeira vez, a duvidar da eficácia da polícia. Ao atraso na atuação na ilha de Utoya, durante o tiroteio na sexta-feira, soma-se a recente revisão em baixa do número de vítimas e uma falta de coordenação nas operações de resgate.

O ministro da justiça tentou, esta manhã, dissipar as críticas: “quero agradecer à polícia de Oslo por todo os esforços feitos até agora. É importante termos uma visão crítica, mas há tempo para tudo, e esta foi realmente uma lição difícil para todos”.

No centro de Oslo, os habitantes tentam regressar à vida normal, sob uma importante presença policial, em especial no bairro onde se situam os edifícios governamentais.

“Sinto uma certa ansiedade. Não tinha muito vontade de regressar, mas é preciso fazê-lo. Não vou deixar que o bombista controle a minha vida. Mas tenho algum receio porque trabalho perto do edifício onde explodiu a bomba. Não consigo esquecer o ruído da deflagração”.

“Não há castigo à altura da crueldade e maldade deste homem. Nós temos leis e tribunais para lidar com estas situações e são eles que vão decidir a melhor forma de castigá-lo”.