Última hora

Última hora

Espanha: PP à frente nas sondagens mas Rubalcaba (PSOE) mais valorizado

Em leitura:

Espanha: PP à frente nas sondagens mas Rubalcaba (PSOE) mais valorizado

Tamanho do texto Aa Aa

É uma legislatura “horribilis” que o presidente do governo espanhol e líder socialista, José Luis Rodriguez Zapatero, tem sobre as costas quando, a 2 de abril, anuncia que não vai candidatar-se nas eleições previstas para março de 2012:

“Quando fui eleito presidente do Governo, em 2004, pensava que duas legislaturas constituem uma duração razoável para estar à frente dos destinos do país. Duas legislaturas, oito anos, não mais.”

A popularidade de Zapatero está em queda desde maio de 2010, no início do programa de austeridade para reduzir as despesas públicas, fazer baixar o défice e acalmar os mercados.

Só que o corte das despesas sociais na democracia espanhola teria um custo político elevado para os socialistas no poder, em Madrid.

O PSOE foi literalmente varrido nas eleições autárquicas e regionais em maio de 2011. O líder assumiu a derrota maior da história do Partido Socialista espanhol, com apenas 27%.

José Luis Rodríguez Zapatero, primeiro-ministro espanhol, foi obrigado a retirar concluses:

“Os resultados das votações indicam que o Partido Socialista perdeu claramente as eleições.”

Para o principal partido da oposição, o Partido Popular, dirigido por Mariano Rajoy, foi uma vitória inquestionável. A direita consolidou os feudos históricos e arrasou os bastiões socialistas. Para Rajoy, as eleições regionais representaram um referendo à estratégia de nada revelar sobre a proposta de alternativa económica para resolver a crise. Apenas pediu eleições antecipadas:

“Este partido vai governar em todas as instituições onde tem a responsabilidade de governar e, se os espanhois assim quiserem, também vai gerir o governo e a nação.”

Os socialistas, pelo seu lado, preparam-se para a batalha eleitoral. Pérez Rubalcaba, antigo ministro do Interior é quem está melhor colocado nas sondagens, graças aos sucessos na luta contra a ETA.

“Nesta campanha eleitoral nada está escrito, e nada está decidido de antemão. Temos de fazer algo muito importante, que é convencer muitos milhões de espanhois a voltarem a confiar em nós.”

Uma sondagem de julho, dá Rubalcaba como o líder mais valorizado pelos espanhois, com 46,2%, à frente do conservador Mariano Rajoy, com 35,8%.

No entanto, segundo essa mesma sondagem o 43% dos espanhois vão votar no PP nas legislativas e 36% ao PSOE de Rubalcaba.

O PP parece ter garantida a vitória, falta saber com que maioria, porque 80% dos espanhóis ssumem ser simpatizantes do 15M (de maio), o movimento que reclama entre outras coisas uma reforma da lei eleitoral que favorece o bipartidismo.