Última hora

Última hora

Relatório da BEA ataca pilotos do voo Rio-Paris

Em leitura:

Relatório da BEA ataca pilotos do voo Rio-Paris

Tamanho do texto Aa Aa

Uma série de erros de pilotagem foram enunciandos pela Agencia de Investigações e Análises em França como causa do acidente do voo Rio – Paris.

O terceiro relatório sobre as investigações técnicas da tragédia revela que os pilotos não adotaram o procedimento adequado para resolver a perda de indicadores de velocidade – devido ao congelamento das sondas pitot – e perda de sustentação da aeronave.

Um versão que não convence de todo o representante da associação das vítimas: “É injusto acusar os pilotos nem sabemos que situação tiveram de enfrentar e não sabemos de todo o que se passou na cabine durante os últimos minutos”.

O piloto que comandava a aeronave efetuou uma manobra manual no momento, uma vez que o piloto automático foi desativado após a perda dos indicadores de velocidade a queda deu-se em três minuto.

O relatório afirma que o comandante da aeronave foi descansar às 2h da manhã sem deixar “recomendações claras” aos dois co-pilotos que ficaram no controle do Airbus. Ele voltou à cabine às 2h11m e a gravação é interrompida às 02h14m.

A empresa aérea Air France reagiu imediatamente ao relatório defendendo o “profissionalismo” dos seus pilotos.

Entre as vítimas ao todos os 216 passageiros e 12 tripulantes. Os familiares esperam para outubro a identificação completa dos 154 corpos recuperados no fundo do oceano.