Última hora

Última hora

Corno de África: combate à fome e às doenças

Em leitura:

Corno de África: combate à fome e às doenças

Tamanho do texto Aa Aa

Cinco mil pessoas já foram transferidas para um novo campo de refugiados no nordeste do Quénia.

Trata-se de uma extensão do complexo de Dadaab, sobrelotado com cerca de 380 mil pessoas.

O novo campo, chamado Ifo 3, está preparado para receber 90 mil refugiados até ao final de novembro. Entretanto, foi lançada uma campanha de vacinação contra a poliomielite e o sarampo.

Alexzandre Izart, dos Médicos Sem Fronteiras explica que o objetivo é vacinar 2500 crianças, estimando que, no final da semana, deverá haver dez mil refugiados neste campo, ou seja, 20 por cento terão menos de cinco anos.

A crise alimentar ameaça 12 milhões de pessoas na região do Corno de África, fustigada pela pior seca há 60 anos.

A situação mais crítica vive-se na Somália, onde a ONU decretou o estado de fome em duas regiões do sul. Agora, os milhares de deslocados que fugiram para a capital, Mogadíscio, enfrentam chuvas torrenciais que ameaçam os seus abrigos.

Este domingo, atracou em Mogadíscio um primeiro barco com ajuda alimentar, proveniente do Kuwait.

Mas o combate à fome é dificultado pelos combates internos entre as tropas do Governo e a milícia islamita al-Shabab.