Última hora

Última hora

EUA: Congresso tem a última palavra

Em leitura:

EUA: Congresso tem a última palavra

Tamanho do texto Aa Aa

Foi por um triz, mas falta, ainda, o aval final do Congresso. A corrida a contrarrelógio para evitar que os Estados Unidos entrassem em incumprimento, já esta terça-feira, terminou com “o acordo possível” entre democratas e republicanos.

O anúncio foi feito por Barack Obama que admitiu que não é o acordo “ideal” mas vai permitir evitar o incumprimento”.

“É este o acordo que eu preferia? Não. Acredito que poderíamos ter tomado as difíceis decisões sobre a reforma do sistema de segurança social e a reforma tributária agora em vez de as remetermos para um comité no congresso. Este compromisso permite avançar na redução do défice que o país precisa e dá a ambos os partidos um forte incentivo para alcançarem um plano equilibrado até ao final do ano.”

O acordo permite elevar o tecto da dívida em 2,4 biliões de dólares. Obama evita, assim, nova negociação antes das presidenciais de novembro de 2012, mas os democratas desistem do aumento de impostos sobre os mais ricos e aceitam um corte de despesas de mais de 2 biliões de dólares.