Última hora

Última hora

Ahmadinejad: "O que aconteceu no Irão não é semelhante ao que se está a passar em outros países"

Em leitura:

Ahmadinejad: "O que aconteceu no Irão não é semelhante ao que se está a passar em outros países"

Tamanho do texto Aa Aa

Com o Irão a ser contestado por causa do programa nuclear e dos atropelos aos direitos humanos, o presidente Mahmoud Ahmadinejad, em entrevista exclusiva à Euronews, falou da “Primavera Árabe” e da contestação interna ao governo.

Adotando uma atitude calma, Ahmadinejad começou por comentar o início do julgamento do antigo presidente egípcio, Hosni Mubarak.

Mahmoud Ahmadinejad: Devemos expressar a nossa tristeza pois alguns líderes têm um relacionamento tão mau com seu povo, que acabam por chegar a este ponto.

Dou voz à minha deceção com a gestão global que alguns governos assumem e que os separa dos seus povos, ao ponto de a população pedir o julgamento dos seus líderes, para conseguir alcançar um outro nível de liberdade.

E: Afirma que cada povo tem o direito de desafiar o seu governo e nós assistimos a isso aqui no Irão, em 2009. Acredita que aquilo a que assitimos no Médio Oriente pode acontecer também no Irão? Está confiante de que existe estabilidade aqui?

MA: O que aconteceu no Irão não é semelhante ao que se está a passar em outros países. Houve eleições totalmente livres no Irão (…)

Mas atacar edifícios e veículos é proibido em qualquer país e é nisso que a polícia, assim como a justiça, se debruçam.

E: Existe liberdade para Mirhossein Mousavi que está sob prisão domiciliária? Existe liberdade para Mehdi Karroubi que está também detido? Eles têm liberdade para expressar a sua oposição, como é evidente que se opõem a si? Será que eles têm liberdade para fazer isso a partir da cela da prisão ou da casa vigiada?

MA: “Existem prisões em qualquer país. Não existem prisões na Inglaterra?”

E: Entendo isso mas falo das prisões onde Karroubi e Musavi estão.

MA: “Existem prisões em qualquer parte. Eles têm problemas com a justiça. A justiça no Irão age de maneira independente e eu não tenho o direito de interferir nos assuntos judiciários Existem leis que podem confrontar as pessoas com a justiça.”