Última hora

Última hora

Em leitura:

Ucrânia: rumo ao Euro 2012


life

Ucrânia: rumo ao Euro 2012

Com o Euro 2012 a aproximar-se o estádio Donbass Arena é o orgulho da Ucrânia. Este estádio de alta tecnologia abriu em 2009 após três anos de obras. O resto do país enfrenta uma corrida contra o tempo para terminar a construção das infraestruturas para a competição máxima do futebol europeu em 2012.

Em Donetsk, a primeira cidade ucraniana a completar as infraestruturas desportivas para o Euro 2012 vive-se um ambiente de otimismo.

Donetsk, capital da região carbonífera de Donbass, servirá de palco a cinco jogos, incluindo um quarto de final e uma meia final. As autoridades locais prometem que tudo estará pronto a tempo, ou seja, em Abril de 2012. O aeroporto da cidade tem um novo terminal, espaços públicos foram renovados e dezenas de estradas e hóteis estão a ser recuperados ou construídos. Mesmo assim, há dúvidas quanto à capacidade para alojar os adeptos.

Segundo o presidente da câmara de Donetsk, Aleksander Lukyanchenko, “a cidade vai poder acolher todos os adeptos exceto nos quartos de final e na meia final, altura em que vamos fretar vinte aviões para fazer viagens de ida e volta entre Kiev e Donetsk”.

Para além das obras, um outro desafio é a comunicação entre os adeptos estrangeiros e a população local. Os residentes terão que aprender um pouco de inglês para poderem lidar com os cerca de 40 mil adeptos que se prevê venham assistir a cada jogo. A cidade necessita de dois mil voluntários que falem inglês. O processo de seleção já começou assim como as aulas e workshops de conversação com formadores ucranianos e polacos.

Falando a partir do Estádio Olímpico, a jornalista da Euronews, Monica Pinna afirma “será aqui que terá lugar a final do Euro 2012. As obras de renovação deste estádio, construído em 1923, foram iniciadas em 2008. As autoridades asseguram que tudo estará terminado a tempo para a partida Ucrânia – Alemanha prevista para Novembro”.

As datas para a conclusão dos trabalhos relativos às infra-estruturas têm vindo a mudar com frequência o que tem dado à UEFA várias dores de cabeça. Em 2007, a Polónia e a Ucrânia ganharam a co-organização desta competição. O novo governo ucraniano, eleito no ano passado, foi criticado devido a atrasos, aumento dos custos e a atribuição dos contratos sem passar pelo habitual processo de licitação. Em entrevista à Euronews, o vice primeiro-ministro ucraniano,

Borys Kolesnikov, afirma que “o parlamento aprovou uma lei especial a fim de abrir uma exceção no caso das licitações para o Euro 2012. Tivemos que escolher entre cumprir os trâmites normais e não organizar o campeonato ou organizar o campeonato sem seguir o processo normal”.

Mais de 40 mil pessoas trabalham todos os dias em projetos relacionados com o Euro 2012. Trata-se de uma oportunidade para a Ucrânia brilhar a nível internacional assim como celebrar o desporto ao mais alto nível.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Viagem pelo Volga

life

Viagem pelo Volga