Última hora

Última hora

Dia de volatilidade nos mercados

Em leitura:

Dia de volatilidade nos mercados

Tamanho do texto Aa Aa

Volatilidade é a melhor palavra para descrever o comportamento das bolsas, que, esta sexta-feira, têm negociado ora no verde, ora no vermelho.

As perdas dos mercados mundiais nos últimos dias, durante oito sessões consecutivas atingiram os 1,75 biliões de euros.

“O que está a motivar estas quedas é uma mudança no estado de espírito dos investidores. Antes, estavam a apostar numa forte recuperação económica e agora os principais indicadores estão a mostrar que a tendência da taxa de crescimento é para reduzir”, afirma François Chaulet da Montsegur Finance.

Wall Street abriu no verde, impulsionada pelos dados do mercado de trabalho nos Estados Unidos. A taxa de desemprego desceu uma décima, para 9,1%, em julho. A economia americana criou 117 mil postos de trabalho, um número melhor do que o esperado, que pode aliviar as preocupações de que a economia esteja a caminhar para a recessão.

O que também tem pressionado os mercados é o receio de que a crise da dívida soberana contagie a Itália e a Espanha. Para este ano prevê-se que a dívida italiana atinja os 129% do PIB, um valor bem mais elevado do que os 73% do país ibérico.

Os líderes europeus estão a acompanhar a evolução dos mercados financeiros e a tentar travar o contágio da crise que já levou Grécia, Irlanda e Portugal a pedirem ajuda.