Última hora

Última hora

Praças europeias em baixa

Em leitura:

Praças europeias em baixa

Tamanho do texto Aa Aa

Frankfurt e as restantes praças europeias abriram a sessão desta sexta-feira em queda acentuada.

A principal bolsa alemã, tal como Londres e Paris estavam a negociar no vermelho, todas com quebras da ordem dos 3 por cento.

O presidente do Banco Central Europeu interveio nos mercados, sem os acalmar.

Conseguiu, no entanto, estancar as subidas de juros sobre as dívidas soberanas de Espanha e Itália que estabilizaram na casa dos seis por cento.

Um analista insiste que, o grande problema, são as dívidas soberanas:

“Nos Estados Unidos e na Eurozona, temos agora o mesmo problema. Existe uma enorme crise da dívida em ambas as regiões e que não é só na Grécia e em Portugal. Existe em países maiores e começou agora em Itália.Os juros das obrigações italianas estão a subir, mas a Itália é demasiado importante para ser excluida do financianmento externo. Estados Unidos, Alemanha, França e Reino Unido, todos têm uma dívida insustentável e um défice orçamental”.

As praças financeiras asiáticas tiveram uma sexta-feira para esquecer e acabaram por influenciar as europeias.

A Bolsa de Tóquio encerrou com perdas de 3.36 por cento, à semelhança do que aconteceu em todas as outras bolsas da região.

Mas as expectativas concentram-se na evolução da economia norte-americana, ameaçada de recessão.