Última hora

Última hora

Noruega: Polícia admite erro

Em leitura:

Noruega: Polícia admite erro

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de muitas críticas, a polícia norueguesa admitiu ter escolhido um percurso mais longo do que o necessário para chegar à ilha de Utoya, a 22 de julho, quando 69 jovens foram assassinados a tiro.

Oslo fica a cerca de 40 quilómetros do lago onde se encontra a ilha. Um responsável da polícia confessou que o local da embarcação não era o mais apropriado. Segundo a televisão norueguesa, as forças policiais poderiam ter apanhado um barco muito mais perto de Utoya.

O resultado já é conhecido: a polícia só chegou ao local uma hora depois de ter sido alertada. Pelo caminho, a primeira embarcação teve uma avaria e só depois é que foram utilizados barcos mais rápidos.

Anders Behring Breivik teve tempo para abrir fogo sobre cerca de 600 jovens, fazendo 69 vítimas. Antes, a explosão de uma bomba junto à sede de governo em Oslo fazia oito mortos.

A polícia confirmou, entretanto, que o autor confesso dos dois ataques estava sob o efeito de drogas. Algo que Breivik tinha admitido no manifesto de 1500 páginas que publicou na internet.