Última hora

Última hora

Vigilantes saem às ruas de Londres

Em leitura:

Vigilantes saem às ruas de Londres

Tamanho do texto Aa Aa

Grupos de cidadãos da grande Londres decidiram agir para proteger pessoas e propriedades. Juntaram-se aos mais 16 mil agentes policiais mobilizados para fazer face aos tumultos que começaram justamente na capital.

Entre os vigilantes estão elementos de várias origens como por exemplo das comunidades turca e siques e também da extrema-direta inglesa.

“Nós somos o exército de Enfield e estamos aqui por apenas uma razão: defender as nossas famílias, a minha companheira e os meus filhos em casa. Estou aqui para protegê-los, vou defendê-los até à morte”, referiu um jovem.

Só em Eltham, no sudeste londrino, cerca de 200 residentes patrulharam as ruas, lado a lado com agentes policiais.

Jack England pertence à EDL, Liga de Defesa dos Ingleses, de extrema-direita. “A polícia não consegue controlar as ruas. Hoje estas pessoas são da comunidade, não são da EDL, patriotas que saíram para defender esta área. Por isso a EDL juntou-se, cerca de 50 membros, para gerir e controlar, para serem uma espécie de guia para que não haja descontrolo”, referiu.

Nalguns casos, a violência acaba por ganhar contornos xenófobos. Num episódio, também em Eltham, a polícia foi obrigada a defender três jovens de origem africana no interior de um autocarro de fúria popular.

As autoridades consideram nefasta a intervenção dos cidadãos por obrigar a um maior controlo da população.