Última hora

Última hora

20 anos depois, Rússia celebra golpe de Estado falhado

Em leitura:

20 anos depois, Rússia celebra golpe de Estado falhado

Tamanho do texto Aa Aa

Faz esta semana 20 anos que Boris Ieltsin subiu para cima de um carro de combate para evitar que os militares, da então União Soviética, avançassem sobre milhares de moscovitas.

A população, mobilizada em frente do parlamento da República Soviética da Rússia, procurava defender o presidente Mikhail Gorbatchev e fazer frente ao golpe de estado lançado por conspiradores.

O vice-presidente Guennadi Ianaiev, o chefe do KGB, Vladimir Krioutchov, o ministro da Defesa, Dmitri Iazov, e o primeiro-ministro Boris Pougo, foram os conspiradores que tentaram, com o golpe, tomar o poder e colocar um fim às reformas iniciadas por Gorbatchev.

O presidente, e também secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética, estava de férias na Crimeia e chegou a ser feito refém dos golpistas.

Retrospetivamente, este episódio da história espanta tanto pela sua duração, apenas dois dias, como pelas consequências, ao acelerar o colapso da União Soviética.