Última hora

Última hora

Futebol: Estádios continuam vazios em Espanha

Em leitura:

Futebol: Estádios continuam vazios em Espanha

Tamanho do texto Aa Aa

Em Espanha a greve de futebolistas deixou os estádios vazios na data prevista para a jornada inaugural da Liga Espanhola, um cenário que se deverá repetir no próximo fim de semana.

As negociações entre jogadores e Liga têm-se arrastado por vários meses mas os progressos têm sido feitos a passo de caracol e por enquanto não se vislumbra uma luz no fundo do túnel.

As reivindicações dos futebolistas incluem o pagamento dos salários em atraso e a garantia de pagamento dos salários futuros, a possibilidade de rescindir contrato quando os atrasos no pagamento chegarem aos três meses e a descida de divisão para os clubes que não pagam.

A justiça espanhola até prevê a descida para os clubes incumpridores, o que não quer dizer que isso aconteça efetivamente Isto devido a uma nova lei de proteção às bancarrotas, criada fora do âmbito desportivo para evitar o encerramento de empresas em tempo de crise, mas que tem funcionado como um verdadeiro salva-vidas para os clubes.

Dos 22 emblemas europeus atualmente em bancarrota, 21 são do país vizinho. Sete dos quais no escalão máximo, incluindo os três recém-chegados da segunda divisão.

Na última temporada a dívida dos clubes espanhóis cresceu de três mil e quatrocentos milhões de euros para mais de quatro mil milhões, dos quais 53 milhões dizem respeito a salários em atraso a mais de 200 futebolistas nos dois principais escalões.

As bancadas vazias são um excelente indicador do poder que têm os verdadeiros artistas no desporto rei, no entanto os clubes já vieram a público dizer que em tempos de crise, pura e simplesmente não há dinheiro disponível.