Última hora

Última hora

O pequeno Muhamad não está em segurança

Em leitura:

O pequeno Muhamad não está em segurança

Tamanho do texto Aa Aa

Há quem inclua nos “danos colaterais” aqueles que são sugados pelo caos dos combates. Mas, quem nada tem a ver com a guerra, são as crianças apanhadas no meio do conflito líbio.

Muhamad, de apenas 10 anos, perdeu-se da família e foi atingido num fogo cruzado. O repórter da Euronews, Mustafa Bag, entrevistou o médico que recebeu Muhamad no hospital de Abu Salim, de onde seria transferido para o Hospital Central de Trípoli. Mas, eis que, inesperadamente, o médico assiste à chegada da família da criança, que a procurava, e aos momentos de emoção que se seguiram.

Sabe-se que Muhamad fugiu com os pais de Benghazi para a capital, há cerca de duas semanas. Perderam-no durante uma troca de tiros.

A mãe afirma que “há quatro dias que não come, sempre em busca do filho” e dá “graças a Deus” por ele estar vivo.

O pai refere que ninguém “sabia onde ele estava”. Alguém lhe disse que havia vários corpos no hospital de Abu Salim e que Muhamad poderia estar entre eles. Por isso se dirigiu para aqui, após uma procura de vários dias.

A criança foi atingida por uma bala no ombro. A Cruz Vermelha ajudou os familiares a localizá-lo. Mas a segurança ainda está longe de ser uma certeza para Muhamad.