Última hora

Última hora

Síria: Repressão ignora noite sagrada

Em leitura:

Síria: Repressão ignora noite sagrada

Tamanho do texto Aa Aa

O exército sírio não dá tréguas nem naquela que é considerada como a noite mais sagrada do ano para os muçulmanos. Após as orações do “al-Qadr” e para evitar mais protestos, as forças do regime dispararam sobre as pessoas que se concentravam à saída das mesquitas. Duas morreram num dia em que já se tinham assinalado oito vítimas mortais durante as manifestações.

“Existe uma necessidade urgente de proteger os civis contra o uso excessivo da força”, concluiu uma missão das Nações Unidas enviada à Síria. Desde março, 2200 pessoas morreram vítimas da repressão, avançou a ONU.

Mas à mesa do Conselho de Segurança, as vozes discordam. A que mais se destaca é a da Rússia que se opõe vigorosamente às sanções contra o regime sírio apresentadas pela França, Grã-Bretanha, Alemanha e Portugal.