Última hora

Última hora

Custo da "Guerra contra o terrorismo" ronda os quatro biliões

Em leitura:

Custo da "Guerra contra o terrorismo" ronda os quatro biliões

Tamanho do texto Aa Aa

Segundo um estudo recentemente publicado, o custo do envolvimento americano nas guerras do Iraque, do Afeganistão e do Paquistão ascende às 225 mil vidas e a um valor monetário que oscila entre os 3,2 biliões e os quatro biliões de dólares.

O presidente Obama referiu o gasto de um bilião de dólares na última década.

Neta Crawford é codiretora do relatório “Costs of War” e professora de ciência política na Universidade de Boston.

“Pode-se considerar o orçamento oficial como a ponta de um iceberg. Logo abaixo está o custo humano dos soldados americanos e logo abaixo, quase ao nível da água, os fornecedores de serviços ao exército que morreram. Muitos desses fornecedores foram mortos ou feridos.

Abaixo desses, a um nível já submerso e quase nunca falado, está o custo humano de civis no Iraque, Afeganistão e Paquistão, e logo abaixo em termos de custos humanos e custos monetários,

está o custo dos veteranos a longo prazo e o custo dos civis nesses países, também a longo prazo, durante os próximos trinta anos”, explica a professora.

“Costs of War” revela os custos da “Guerra contra o Terrorismo” iniciada pelo Estados Unidos há dez anos, após os atentados de 11 de setembro.

“Por cada milhão de dólares gasto, o Pentágono cria 8 empregos. Se fosse gasto na educação criaria 15 empregos direta e indiretamente. Na saúde 13 direta e indiretamente. Existem assim custos de oportunidade em termos de empregos, numa economia que está muito frágil”, conclui Neta Crawford.

Tal como Congressional Research Service, o relatório sugere que a contabilidade de guerra do Pentágono e os gastos com bases deviam ser mais transparentes.