Última hora

Última hora

Singapura é exemplo na gestão da água

Em leitura:

Singapura é exemplo na gestão da água

Tamanho do texto Aa Aa

A água… Estamos habituados a vê-la em estado líquido mas esquecemo-nos que assume, também, outras formas. O estado sólido, o gelo, e o estado gasoso, o vapor de água, que está presente na atmosfera.

A água está em nós, faz parte de quem somos e de tudo o que fazemos. A água é essencial para todas as formas de vida. Vivemos através da água.

Para Khoo Teng Chye, diretor executivo da agência nacional da água de Singapura, “provavelmente, existe um vínculo intrínseco, talvez quase primitivo entre os seres humanos e a água.”

Satisfazer a sede mundial é um dos maiores desafios técnicos e humanos deste século.

Os analistas preveem que em 2030, o mundo vai enfrentar uma escassez de água. A procura será 40 por cento superior à oferta.

A cientista do Instituto da Água, Rita Padawangi, a principal questão a colocar-se é “o papel que as pessoas podem desempenhar na gestão das águas urbanas. Muitas cidades tratam, ainda, os seus rios como esgotos, e isso é um problema ambiental.”

Singapura é uma cidade moderna, ambiciosa e complexa. Uma cidade-estado que sempre soube que a gestão da água, era uma questão fundamental.

“Mesmo antes da independência, durante o domínio britânico, tínhamos já de importar água da Malásia. Por isso, desde o primeiro dia de independência que pretendemos assegurar a nossa auto suficiência em relação à água. Isso tornou-se numa estratégia, numa prioridade,” afirma Khoo Teng Chye.

Uma dessas estratégias é a reciclagem a larga escala – com as águas residuais processadas e transformadas em “Newater”, como é conhecida.

Com este processo fica garantido um terço das necessidades de Singapura.

Para mostrar a importância que cada gota de água tem, a ETAR da cidade possui um centro para os visitantes.

Rita Padawangi, “forma mais simples de agir é ao nível do sistema educativo. As pessoas têm de aprender que a água não é fácil de obter, não é tão fácil como ligar a torneira. “

Tornar a gestão da água num processo público é uma forma de aumentar a consciência dos cidadãos.

A Barragem da Marina expressa exatamente isso, a maneira como Singapura conseguiu entrosar a política de gestão da água, na vida quotidiana dos seus habitantes.

Um projeto de engenharia, transformado num parque público.

O diretor executivo da agência nacional da água de Singapura explica como tudo começou. “No início a ideia era criar uma barragem, uma barreira, para impedir que a maré alta inundasse a baixa da cidade. Com o advento da tecnologia de membranas e com a nossa capacidade em sermos capazes de limpar a água para beber, a barragem tornou-se, também, numa fonte de abastecimento de água. Quando ficou concluída apercebemo-nos de que tínhamos criado um agradável lago recreativo, no coração da cidade.”

Reciclar e armazenar água é muito importante mas à necessário encontrar novas fontes de abastecimento de água potável.

“Somos uma ilha, estamos cercados por mar. Creio que existem muitas cidades costeiras, no mundo, que contam com o mar como fonte de água,” informa Teng Chye.

Cerca de 10 por cento da água consumida, todos os dias em Singapura, tem origem no mar.

A cidade possui a maior central de dessalinização de toda a Ásia.

As empresas locais especializaram-se em transformar água salgada em água potável, tornando isso numa oportunidade de negócio, como demonstra o Presidente da Hyflux.

“Há dez anos construíamos apenas 5 ou 6 centrais de dessalinização por ano. Hoje em dia esse valor é 10 ou 20 vezes superior só de pedidos que nos chegam do Médio Oriente, do norte de África, Estados Unidos ou América Latina, Índia, sudeste asiático e, claro, da China,” declara Sam Ong.

As cidades, em todo o mundo, estão a crescer e com isso, cresce a necessidade de abastecimento de água.

Quer falte, quer seja a excesso, a água tem um efeito predominante da vida quotidiana de qualquer urbe.

Os problemas ambientais não são ignorados por Khoo Teng Chye.

“Singapura é uma cidade muito densa e, provavelmente, vamos continuar a ter um crescimento económico e populacional.

Haverá, sempre, novos desafios e novos problemas para resolver. Para mim, a urbanização e a mudança climática são dois dos principais desafios com que nos defrontamos. “

Toda a vida depende da água, por isso a gestão dos recursos hídricos se torna tão importante.

Manter o abastecimento de água potável é, por isso, um desafio à escala mundial.