Última hora

Última hora

Quénia: Cimeira sobre a fome no Corno de África

Em leitura:

Quénia: Cimeira sobre a fome no Corno de África

Tamanho do texto Aa Aa

No Quénia, ministros dos países do Corno de África afetados pela fome reuniram-se na delegação das Nações Unidas em Nairobi para explorarem formas de gerir a crise.

Delegados do Quénia, Somália, Etiópia e Djibuti tentam encontrar uma solução para o problema que, passa por uma maior ajuda das potências ocidentais.

“Estamos constantemente a lembrar ao resto do mundo que se a NATO pode organizar uma ataque à Líbia e gastar milhares de milhões de dólares para correr com o Kadhafi, também pode gastar um pouco desse dinheiro a salvar da morte as pessoas do Corno de África.

Se a América pode gastar milhares de milhões de dólares no Iraque, no Afeganistão e noutros lugares, certamente que pode gastar uma pequena fração desse dinheiro na construção de represas nas terras secas do Corno de África, na ajuda à normalização da Somália ajudando a produzir alimentos e a sedentarizar comunidades”, sublinhou o ministro dos Negócios Estrangeiros do Quénia.

A seca, combinada com a fome e a guerra civil na Somália provocam um fluxo de migratório para o Quénia onde se situa o maior campo de refugiados do mundo: Dabaab, que alberga mais de 400 mil pessoas.

A cimeira prlonga-se até ao dia 9 e termina com um encontro de chefes de estado.