Última hora

Última hora

Campeonato do Mundo de Râguebi: O haka explicado

Em leitura:

Campeonato do Mundo de Râguebi: O haka explicado

Tamanho do texto Aa Aa

O haka é o verdadeiro cartão-de-visita da seleção neozelandesa de râguebi, no entanto não há muita gente que conheça as suas origens. Trata-se de uma dança tribal de origem maori pode ser utilizada para dar as boas vindas ou até em cerimónias oficiais.

Chappy Harrison, representante da tribo Ngati Kahu explica-nos a dança tribal executada antes de cada encontro dos All Blacks: “Este haka em particular é sobre um indivíduo que fugia de um rival que o perseguia, por isso cantava para si próprio «Ka mate, ka mate, ka ora…» irei viver ou irei morrer. «Tenei te tangata puhuru huru…» estava a ser perseguido e realmente assustado, por isso interroga-se: serei apanhado? É esta a origem deste haka.”

Utilizado por forma a intimidar os inimigos, o haka está longe de ter uma receita única. Existem tantos hakas quanto existem tribos maoris e têm vindo a ser transmitidos de geração em geração.

Tradicionalmente utilizado como ritual de guerra antes de cada batalha, foi adotado pela seleção neozelandesa de râguebi pela primeira vez em 1888.

Apesar das várias versões existentes, todas têm um ponto em comum: tiram a língua ao adversário, algo que Chappy Harrison explica: “É uma provocação, uma forma de faltar ao respeito, por assim dizer. Mas também serve para mostrar um ar feroz.”

A tradição e toda a energia de um país parecem estar com a Nova Zelândia, mas será suficiente para se sagrarem pela segunda vez campeões mundiais de râguebi? A resposta será dada dentro das quatro linhas no próximo mês.

Bruno Sousa