Última hora

Última hora

11 de setembro: "Ground Zero" emocionado depois de se pronunciarem os nomes das vítimas

Em leitura:

11 de setembro: "Ground Zero" emocionado depois de se pronunciarem os nomes das vítimas

Tamanho do texto Aa Aa

Há 10 anos, às 8h46, o primeiro avião embatia na torre norte do World Trade Center.

Para assinalar a efeméride um coro de jovens tocou um sino e entoou o hino nacional.

O presidente Barack Obama proferiu palavras como “Deus é o nosso refúgio e a nossa força”, antes de cumprimentar alguns familiares das vítimas.

Milhares de pessoas aglomeram-se junto ao ground zero, num domingo limpo, para homenagear as 3 mil vítimas do atentando terrorista.

Com a máxima segurança e o trânsito interdito, a cerimónia da primeira década após os atentados, envolveu a leitura dos nomes, testemunhos de crianças que ficaram sem os seus pais, o que proporcionou muita intensidade aos presentes.

O toque do segundo sino ouviu-se às 9h03, hora do segundo ataque, altura em que decorreu outro momento de silêncio.

A lenta leitura dos nomes continuou.

O memorial, que as famílias poderão visitar após a cerimónia, é um espaço de 3 hectares, construído em cima das Torres Gémeas.

Os nomes das vítimas inscrevem-se em duas enormes bacias de água, com cascatas interiores.

Aos coros e às vozes angelicais juntou-se Paul Simon, e o seu “som do silêncio” tornou-se na banda sonora para assinalar a efeméride.