Última hora

Última hora

Israel promete "consequências" se Estado palestiniano for avante

Em leitura:

Israel promete "consequências" se Estado palestiniano for avante

Tamanho do texto Aa Aa

Será pouco provável que os palestinianos recuem, mas, mesmo assim, as pressões internacionais continuam para limitar os possíveis danos.

A representante diplomática da União Europeia, Catherine Ashton, chegou a Jerusalém para tentar refrear os ânimos, numa altura em que Israel profere ameaças veladas, porque Mahmud Abbas planeia ir à ONU propôr a criação do Estado da Palestina.

Avidgor Lieberman, o ministro dos Negócios Estrangeiros israelita, é o porta-voz do mal-estar: “A partir do momento em que eles tomem essa decisão unilateral, vai haver muitas consequências, e só esperamos não ter de chegar aí.”

Apesar da seriedade das declarações, Telavive recusa a palavra “ameaça”. Washington também enviou emissários para conter a tensão.

Nos colonatos da Cisjordânia, ninguém espera que a ONU se pronuncie. O exército israelita está a fornecer treino militar especial aos colonos. Três mesquitas, neste território, foram vandalizadas. A extrema-direita hebraica apela a manifestações maciças, greves e ao afastamento de trabalhadores palestinianos.