Última hora

Última hora

Líbia: Sarkozy e Cameron recebidos por "banho de multidão"

Em leitura:

Líbia: Sarkozy e Cameron recebidos por "banho de multidão"

Tamanho do texto Aa Aa

De visita oficial à “nova Líbia”, o Presidente francês e o primeiro-ministro britânico reforçaram, esta quinta-feira, as mensagens de solidariedade e as promessas de ajuda financeira ao país.

Recebidos em apoteose, de manhã em Tripoli, à tarde em Bengazi, Nicolas Sarkozy e David Cameron elogiaram a obstinação do povo líbio e lembraram que o processo termina com a detenção de Muammar Kadhafi, que permanece em parte incerta.

“É ótimo estar aqui, numa Bengazi e numa Líbia livres. A cidade foi uma inspiração para o mundo, porque vocês expulsaram um ditador e escolheram a liberdade”, disse o chefe de Governo britânico, David Cameron.

O Presidente francês, Nicolas Sarkozy, acrescentou: “Amigos de Bengazi, agora pedimo-vos uma coisa: acreditamos numa Libia unida, não numa Líbia dividida. Viva Bengazi, viva a Líbia.”

Para Paris este foi um “momento histórico”. Se dúvidas houvesse em relação ao empenho de França no processo, Nicolas Sarkozy fez questão de esclarecê-las.

Durante uma conferência de imprensa conjunta com os dois principais dirigentes do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia e o primeiro-ministro britânico, Sarkozy assegurou que a ajuda ao país não implica “qualquer cálculo” em relação às riquezas da Líbia.

Já David Cameron comprometeu-se a desenvolver “todos os esforços” para libertar os fundos líbios que foram congelados e anunciou que Londres vai apresentar na sexta-feira um projeto de resolução no Conselho de Segurança da ONU destinado a autorizar a libertação dos fundos, avaliados em milhares de milhões de dólares.