Última hora

Comissária Malmström propõe maior controlo de Bruxelas sobre espaço Schengen

Em leitura:

Comissária Malmström propõe maior controlo de Bruxelas sobre espaço Schengen

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de 400 milhões de europeus circulam sem controlo fronteiriço no espaço Schengen. Mas problemas recentes ligados à imigração, com restabelecimento unilateral de fronteiras, levaram a Comissão Europeia a apresentar uma proposta, que lhe dá mais poderes. Repor os controlos passaria a necessitar de autorização de Bruxelas, que pode também colocar um estado-membro sob uma espécie de quarentena.

“Em circunstâncias excepcionais, se um país não puder proteger as suas fronteiras, tal pode afectar toda a União Europeia. Os estados-membros podem decidir suspender temporariamente a fronteira, mas nenhum país pode ser excluído”, disse à Euronews a comissária para os Assuntos Internos, Cecilia Malmström.

A explicaçao da comissaria tem por detrás o caso da Grécia, com dificuldades em conter a passagem de clandestinos através dos 150 quilómetros de fronteira com a Turquia.

A tentativa de tornar mais comunitárias as decisões sobre Schengen deverá ser mal recebida por vários governos.

A França fechou as fronteiras na Primavera, quando milhares de tunisinos entraram na Europa via Itália, fugindo da violência revolucionária. O governo de Paris já fez saber que não concorda com a proposta, bem como os governos alemão e espanhol. A Dinamarca, que esta semana elegeu um governo de centro-esquerda, poderá cancelar o controlo fronteiriço com a Alemanha decido pelos nacionalistas.