Última hora

Última hora

Strauss-Kahn assume "falha"

Em leitura:

Strauss-Kahn assume "falha"

Tamanho do texto Aa Aa

“Tive medo, tive muito medo” assumiu Dominique Strauss-Kahn ao mesmo tempo que reconhecia, em direto na televisão, ter cometido uma “falha”.

O ex-diretor do Fundo Monetário Internacional falou, este domingo, à televisão francesa. À chegada à estação era esperado por algumas dezenas de pessoas em sinal de protesto.

Na primeira entrevista, desde o escândalo, Strauss-Kahn deu a sua versão dos acontecimentos de maio.

“Não houve qualquer violência, coação ou agressão, nem nenhum ato criminoso. Estas palavras são do promotor público, não minhas.

O que aconteceu foi uma relação imprópria, mais do que isso, uma falha, terá sido uma fraqueza? Foi algo mais grave que uma fraqueza. Acredito que foi uma falha moral. Mas também uma falha para com os franceses que tinham colocado em mim as expectativas de mudança. E deste ponto de vista, é importante dizer isto, eu falhei o meu compromisso com os franceses.

O relatório do promotor não me acusa de ter ferido ninguém. Ele diz que Nafissatou Diallo mentiu em relação a tudo”.

Em maio, Strauss-Kahn estava hospedado num hotel em Nova Iorque quando foi preso e acusado de tentativa de violação e outros abusos por uma empregada da unidade hoteleira.

O procurador americano acabou por retirar a acusação de violação e foi libertado, meses mais tarde por não ficarem provados os factos e pela pouca credibilidade, com depoimentos contraditórios, por parte de Diallo.