Última hora

Última hora

Comissão Eurpopeia anuncia estratégia em direção à "economia verde"

Em leitura:

Comissão Eurpopeia anuncia estratégia em direção à "economia verde"

Tamanho do texto Aa Aa

Com o actual ritmo intenso de exploração dos recursos naturais, em 2050 serão precisos 2,5 planetas para satisfazer nove mil milhões de pessoas.

A Comissão Europeia apresentou uma estratégia para maior eficiência dos recursos, mas encontrar o preço justo a pagar pelas dádivas da natureza exige indicadores que só devem ser fixados em 2013.

“Actualmente já temos muitos dados e há muitos especialistas na matéria. Mas, de facto, ainda não encontrámos a melhor maneira de medir o real custo da utilização dos recursos”, afirma o comissário para o Ambiente, Janez Potočnik.

Com as suas reservas praticamente esgotadas, a Europa é o maior importador mundial per capita de metais, minerais e outros recursos básicos.

A reciclagem é, por isso, uma prioridade para a “economia verde”. Um exemplo vem da empresa belga Umicore, líder mundial na reciclagem de baterias, que dá empego a 14 mil pessoas ao transformar lixo em material vendido com lucro à industria electrónica.

“Há uma enorme mina à superficie da terra – a que chamamos mina urbana – repleta de materiais, de lixo electrónico. Há materiais contidos numa enorme quantidade de aplicações. Penso que a estratégia para a eficiência dos recursos deve perceber como explorar melhor esta mina urbana”, explica Tim Weekes, director de comunicação da Umicore.

A par de nova legislação e de incentivo a novos padrões de produção, a Comissão Europeia quer incentivar novos comportamentos de conusmo. Mas para os ambientalistas, o maior desafio é a reforma fiscal.

“A Comissão deve ser muito clara sobre como vai, por exemplo, lidar com os subsídios que são prejuidiciais ao ambiente, como vai convencer os governos obter mais receita por via de impostos sobre o ambiente ou como desenvolver a política de lixo zero”, afirma Pieter Depous, do European Environmental Bureau.

Para discutir os detalhes da estratégia e criar metas claras, o executivo europeu pretende criar uma plaraforma que incluirá governantes, peritos e membros do sector empresarial e da sociedade civil.