Última hora

Última hora

EUA: fim da discriminação sexual nas forças armadas

Em leitura:

EUA: fim da discriminação sexual nas forças armadas

Tamanho do texto Aa Aa

Homosseuxais assumidos já podem servir nas forças armadas norte-americanas.

Esta terça-feira chegou ao fim a política conhecida como “Dont’ Ask, Don’t Tell”, uma lei que proibia o serviço de pessoas abertamente homossexuais nas forças armadas.

Em dezembro passado, o presidente norte-americano promulgou legislação a fim de proibir a anterior política em vigor desde 1993 sob o mandato de Bill Clinton.

Ao abrigo desta legislação, 14,500 elementos das forças armadas foram proibidos de servir o seu país. Segundo os termos da lei, qualquer homossexual teria que manter a sua orientação sexual secreta a fim de servir nas forças armadas.

Foi o caso de Melvin Dwork, afastado da marinha em 1944. Na altura foi oficialmente dado como inapto e indesejável.

“Tem que ser substituido com uma atitude totalmente diferente, uma atitude moral totalmente aberta, igualdade”, afirma Melvin Dwork.

As organizações de defesa dos direitos dos homossexuais descrevem a nova legislação como um marco histórico na luta contra a discriminação.

Estima-se que 2,2% das forças armadas norte-americanas sejam homossexuais.

Os detratores da nova legislação argumentam que a inclusão de homossexuais assumidos nas forças armadas poderá ter um efeito negativo sobre a eficácia das forças em combate.