Última hora

Última hora

Israel: O drama de uma família de Belém

Em leitura:

Israel: O drama de uma família de Belém

Tamanho do texto Aa Aa

Em Israel, na cidade de Belém, a casa da família Anastas está situada na Zona C, uma área controlada administrativa e militarmente por Israel.

Como tal não pode ser vendida. A casa está circundada pelo muro israelita que em certas zonas atinge os oito metros de altura e que os separa do resto da família que vive do outro lado.

Uma das lojas de recordações da família faliu. Numa outra, Claire espera em vão por clientes que raramente aparecem.

A oficina de mecânico que o marido tinha também teve de fechar durante a segunda intifada porque o exército israelita ocupou a casa durante o cerco a Belém.

“Há muito anos que vivemos uma vida de medo, sobretudo depois de terem ocupado a nossa casa durante a noite. Mostraram-nos documentos que lhes davam o direito de o fazer enquanto uma ordem militar. Utilizaram os nossos quartos depois de terem acordado os nossos filhos sob a ameaça das armas que ficaram traumatizados e ainda hoje se sentem deprimidos”, lamentou-se Claire Anastas.

No jardim, Claire interroga-se se existe algum futuro para a sua família que chegou à Terra Santa há 500 anos, vinda de Veneza.

“Sentimo-nos frustrados por sermos ignorados enquanto civis que exigem os seus direitos.

Como somos palestinianos árabes e cristãos somos completamente ignorados.

Esperamos que dentro em breve haja mudanças porque não podemos continuar assim”, continuou Claire.

“Barreira de proteção para os israelitas ou muro da opressão para os palestinianos, o certo é que é um pesadelo para a família Anastas”, concluiu, Isabel Ces da Euronews.