Última hora

Última hora

Palestinianos divididos entre a esperança e a cautela

Em leitura:

Palestinianos divididos entre a esperança e a cautela

Tamanho do texto Aa Aa

Na cidade da Cisjordânia, ocupada por Israel, vivem-se dias de esperança.

O pedido entregue nas Nações Unidas domina a atualidade informativa. A imprensa fala do renascimento da Palestina, a população aplaude a iniciativa e mostra-se confiante:

“Ontem acendemos a primeira vela para um Estado palestiniano nas Nações Unidas. As pessoas apoiam Abbas e estão felizes” refere um palestiniano.

Outro afirma: “temos o direito legítimo de nos tornarmos membros das Nações Unidas tal como os outros países e estamos otimistas face à possibilidade de, também, nós sermos um Estado.”

O primeiro passo foi dado. Mas em termos práticos a reivindicação palestiniana tem poucas hipóteses de sobreviver. E é nisso que acredita a maioria dos israelitas:

“Ou se ganha uma guerra e se cria um Estado ou se negocia. Um pedaço de papel não ajuda os palestinianos. É uma piada” sublinha uma mulher.

“Creio que com esta iniciativa, Mahmoud Abbas ganhou crédito e reforçou a posição enquanto líder da Autoridade Palestiniana” refere um israelita.