Última hora

Em leitura:

Arábia Saudita: Direito de voto das mulheres avaliado de formas contraditórias


Arábia Saudita

Arábia Saudita: Direito de voto das mulheres avaliado de formas contraditórias

Para muitos é uma mudança enorme, para outros é quase uma piada. A Arábia Saudita concedeu o direito de voto às mulheres nas eleições municipais, assim como a possibilidade de se candidatarem. Esta é uma abertura ténue numa monarquia absoluta onde a lei islâmica é rigorosamente aplicada e as mulheres discriminadas.

“Esta decisão vai permitir às mulheres sauditas ter um espaço para a participação política pela primeira na história da Arábia Saudita “ – saúda a socióloga Fawziyah Abu Khalid, da Universidad do Rei Saud em Riade

Mas até que ponto esta é verdadeiramente uma decisão histórica? As mulheres continuam proibidas de conduzir e só podem sair à rua acompanhadas pelo marido ou por um homem da família. O rei Abdullah, apesar de ser visto como um reformista, pouco fez para mudar o país.

“Honestamente, ao princípio pensei que se tratava de uma piada porque na sociedade saudita ninguém tem voz política. A verdade é que se trata de uma ditadura total pelo que… Dar o direito de voto às mulheres, para quê? Para escolher quem vai dirigir o bairro?” – Questiona Massoud Shajereh da Comissão Islâmica de Direitos Humanos com sede em Londres.

As próximas eleições locais realizam-se já na próxima semana, pelo que as mulheres só vão poder votar em 2015. Pode ser que nessa altura se possam deslocar sozinhas e ao volante de uma viatura, sem serem interpeladas pela polícia religiosa.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Conselho de Segurança analisa hoje requerimento palestiniano