Última hora

Última hora

Coreógrafo de "This is it" lança acusações sobre Murray

Em leitura:

Coreógrafo de "This is it" lança acusações sobre Murray

Tamanho do texto Aa Aa

Está a decorrer o julgamento de Conrad Murray, o médico de Michael Jackson acusado de homicídio involuntário.

Na audiência, o coreógrafo e responsável pela digressão de “This is It”, afirmou que o médico ficou zangado por não ter permitido a Jackson que terminasse o ensaio e por tê-lo mandado para casa. Acrescentou que Murray lhe disse para deixar de ser um médico e psicólogo amador e voltar a cumprir o seu papel apenas e para deixar a saúde de Michael com ele.

Uma das provas apresentadas pela acusação é uma gravação da voz de Jackson. O cantor está, como foi ouvido na sessão no tribunal, sedado.

Para a defesa os factos são outros. O cantor automedicou-se até à morte.

“Acreditamos que as provas vão mostrar-vos, as provas forenses, que, depois do doutor Murray sair do quarto, Michael Jackson administrou a si próprio uma dose de propofol que, com o lorazapam, criou uma tempestade perfeita no seu corpo que o matou instantaneamente”, afirmou o advogado de defesa.

À saída do tribunal os familiares do cantor não prestaram declarações enquanto os fãs pediam justiça para o “Rei do Pop” que morreu, devido a uma paragem cardíaca, há dois anos.