Última hora

Última hora

Testemunhas arrasam médico de Michael Jackson

Em leitura:

Testemunhas arrasam médico de Michael Jackson

Tamanho do texto Aa Aa

Duas testemunhas importantes foram ouvidas, esta quarta-feira, no julgamento que tenta apurar responsabilidades na morte de Michael Jackson.

Dois homens que viviam e trabalhavam muito perto do cantor. No momento fatídico, estavam no seu lugar, tal como o médico Conrad Murray.

O acusador público foi incisivo, nas perguntas:

“E quando o senhor chegou junto da cama o que estava Conrad Murray a fazer?

E o guarda-costas respondeu:

“Pareceu administrar o CPR, pareceu muito nervoso, estava ao seu lado, todo suado, e pareceu administrar CPR”.

CPR é um reativador cardíaco, usado em situações de emergência, um medicamento que até o segurança pessoal conhecia.

O assitente pessoal de Jackson disse mais:

“Ele disse: o senhor Jackson teve uma reação muito má. Eu não sei o que o senhor pensa quando ouve aquilo, mas eu, quando ouvi dizer que teve uma reação má, não pensei em nada de fatítico. É a minha personalidade.E não perguntei se era preciso chamar o 9-1-1. Ele perguntou-me o que estava a fazer e eu disse o que o doutor mandar”.

Dois depoimentos que pouco podem ajudar à defesa do médico Conrad Murray.

O guarda-costas disse ainda que, após a morte do cantor, a grande preocupação do médico foi recuperar os seus cremes, que tiinham ficado em casa do Michael Jackson.