Última hora

Última hora

Descoberto novo buraco no ozono

Em leitura:

Descoberto novo buraco no ozono

Tamanho do texto Aa Aa

Cientistas japoneses descobriram, pela primeira vez, um buraco na camada de ozono no Ártico, de tamanho igual à que existe no Antártico. Este buraco é ainda mais perigoso, tendo em conta que expôs algumas regiões da Rússia e da Mongólia a níveis elevados de radiações ultravioleta.

A camada de ozono protege as pessoas, as plantas e os animais da radiação. O cloro é o principal inimigo. Este rombo terá sido causado pelo cloro formado nas nuvens de ácido nítrico originadas pelo frio intenso: “A camada de ozono filtra os raios ultravioleta, muito perigosos. Este buraco pode ter um impacto no ambiente na Escandinávia e na Rússia, por isso é preciso acompanhar a situação de perto”, diz o investigador Hideaki Nakajima.

O frio é, neste momento, a maior ameaça à camada de ozono, nas regiões dos polos. A descoberta dos primeiros rombos na camada, nos anos 80, levou a uma tomada de consciência para este problema. Graças a isso, a produção de gases CFC, usados nos aerossóis, é neste momento praticamente nula. Estes gases, ricos em cloro, ajudam a destruir a camada.