Última hora

Última hora

Morte de Jobs vista em Londres

Em leitura:

Morte de Jobs vista em Londres

Tamanho do texto Aa Aa

É um dia triste para os que gostam de iPhones, iPads e Macbooks. Mas para aqueles que trabalham nestas indústrias, a morte de Steve Jobs é um duro golpe porque a tecnologia da Apple deu-lhes oportunidades que nunca existiram.

Em Londres, a Euronews partiu à procura de reações à morte do fundador da Apple. Entre os jovens das áreas do desenvolvimento de programas e web design as opiniões são consensuais.

“Ele é um dos poucos casos nas multinacionais em que me parece que a empresa terá muito a perder sem ele”, explica Joe Cowie da etsy.com.

Johannes Ledel da Livestation afirma: “O iPhone e o iPad foram uma grande revolução tecnológica mas se voltarmos atrás, Steve Jobs esteve lá desde o início, com o Macintosh e o Apple 2, que foram momentos definitivos na indústria.”

Momentos que poucos poderão esquecer.

“É um choque, especialmente porque trabalhamos muito com o iPad. Estamos a questionar-nos sobre quem vem assumir a dianteira nos próximos lançamentos”, adianta Luke Newbold da Bold Creative.

Gemma Huntingford, da mesma empresa, acrescenta: “Quem vai ser o próximo inovador e visionário da Apple.”

“Trabalho em desenvolvimento e se faço o que faço na minha vida é porque Steve Jobs me inspirou, direta ou indiretamente. Não podia estar mais triste, é uma grande perda. Estou chocado”, diz Mike Massari trabalhador na Apple.

A loja da Apple, em Covent Garden, Londres, transformou-se, esta quinta-feira, num santuário. Os fãs da marca, admiradores de Steve Jobs, fizeram, no local, as suas homenagens ao homem grande da empresa norte-americana.