Última hora

Última hora

Junta militar birmanesa liberta dissidentes

Em leitura:

Junta militar birmanesa liberta dissidentes

Tamanho do texto Aa Aa

A primeira vaga de libertações dos anunciados seis mil prisioneiros começa hoje em Mianmar.

Pelo menos 300 presos políticos serão libertados pela junta militar birmanesa, no âmbito de uma amnistia apresentada.

Um dos primeiros a sair foi o célebre comediante Zarganar. Mas com mais de dois mil intelectuais, académicos, políticos e jornalistas na cadeia, o regime terá de fazer mais para provar que está realmente a seguir uma via reformista.

Serão exactamente 6.359 pessoas beneficiadas por esta decisão, necessária para que a comunidade internacional decida levantar o embargo económico que pesa sobre Mianmar.

Uma fonte da oposição revelou que grande parte dos dissidentes que serão libertados pertence à Liga Nacional para a democracia” da líder Aung San Suu Kyi. Foi com alegria que ela recebeu estas libertações afirmando que “a liberdade de uma pessoa não tem preço”.