Última hora

Em leitura:

Mais de 10.000 "indignados" nas ruas alemãs


Alemanha

Mais de 10.000 "indignados" nas ruas alemãs

Em Frankfurt, no centro financeiro da Europa, junto ao Banco Central Europeu, mais de 5000 alemães mostraram a sua indignação contra um sistema financeiro que consideram “irresponsável”.

Os alemães estão cada vez mais preocupados. Temem que a crise da dívida soberana avance da periferia para o centro da Europa e possa vir a “gripar” o motor da economia da União.

Numa sondagem publicada esta semana, a crise das dívidas soberanas surge como a primeira preocupação para 71% dos inquiridos. Seguem-se as dúvidas sobre as capacidades dos políticos para resolverem a situação e receios sobre o futuro; das pensões, da educação e do emprego.

Nas ruas, há quem já fale na necessidade “de uma revolução”. Afirma-se que 99% da população mundial está a pagar os erros e os luxos de 1%, que não podem continuar “a ser tratados como escravos do poder” e que é tempo de reclamar “liberdade”.

Na capital Berlim, outras 5000 pessoas concentraram-se junto à porta de Brandeburgo contra o capitalismo selvagem que, consideram, está a destruir o Estado Social Europeu, construído a partir das cinzas da II Guerra Mundial.

Muitos não hesitam em dizer que o atual “capitalismo é uma bomba ao retardador para os humanos e para o planeta”.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Sábado sangrento no Iémen