Última hora

Última hora

Grécia: Protestos não travam austeridade

Em leitura:

Grécia: Protestos não travam austeridade

Tamanho do texto Aa Aa

A paisagem é desoladora assim como o ânimo dos gregos. Esta manhã, Atenas exibia as marcas dos distúrbios dos últimos dois dias. Apesar das manifestações e da greve geral, acompanhadas por violentos confrontos, o Parlamento aprovou o novo pacote de austeridade. O tema percorre os jornais e os cidadãos fazem crónicas ainda mais negras do futuro.

“Os europeus, os alemães, os holandeses e os franceses estão a planear transformar-nos nos Balcãs, como a Bulgária e a Roménia. Estão a reduzir os nossos salários para trazer as empresas deles para cá e fazer-nos trabalhar por nada”, comenta um reformado.

“Tudo parece sombrio, completamente sombrio. Estão a cortar-nos as pensões, há lixo em todo o lado, ninguém se importa connosco. Não há governo, não há nada. Estamos desesperados”, desabafa uma residente de Atenas.

Os gregos devem preparar-se para novos cortes salariais e aumentos de impostos, apesar da mobilização social e dos violentos confrontos que provocaram a morte de uma pessoa e mais de 70 feridos.