Última hora

Última hora

O satélite Galileu e a independência europeia

Em leitura:

O satélite Galileu e a independência europeia

Tamanho do texto Aa Aa

Lançado em 1999, o Galileu é um projeto conjunto da Comissão Europeia e da Agência Espacial Europeia.

O primeiro sistema global de radionavegação inteiramente civil permite aos europeus tornarem-se independentes do GPS americano.

O Galileu pode ser usado em qualquer lugar da terra para obter posicionamentos com uma precisão de 45 centímetros.

“Temos claro, o GPS dos Estados Unidos mas é bom ter mais sistemas para ter mais fiabilidade, Como ele tem muitas aplicações, trata-se mais de uma complementaridade do que uma competição entre os dois”, afirma o astrofísico Dirk Frimout.

O sistema europeu tem a vantagem de ser operável com o GPS e com o projeto russo Glonass.

Os satélites de Galileu vão ser colocados a mais de 23 mil quilómetros da terra.

Equanto o sistema GPS tem 24 satélites. O Galileu terá 30 satélites, 27 operacionais e 3 suplementes.

Para já, foram colocados em órbita dois satélites com a ajuda do foguetão russo Soyuz:

“Para ser operacional o sistema deve ter no mínimo 18 satélites. Com apenas dois satélites o sistema ainda não é totalmente operacional mas os sinais vão já ser utilizados. Agora entramos na fase da validação”, explica a cientista belga Pascale Defraigne.

Para garantir o rigor no posicionamento do solo, cada satélite possui relógios extremamente precisos.

O Galileu poderá ser usado para pilotar carros, operar comboios e facilitar a ateragem dos aviões.

O sistema deverá estar operacional em 2014.

O orçamento total de 5,5 milhões de euros terá de ser revisto em alta mas a Europa espera retornos comerciais importantes.