Última hora

Última hora

Afluência maciça às eleições tunisinas

Em leitura:

Afluência maciça às eleições tunisinas

Tamanho do texto Aa Aa

Os tunisinos responderam de forma maciça à primeira eleição livre da sua história. Nove meses depois da revolução que derrubou Ben Ali, mais de 90 por cento dos eleitores depositaram o voto para eleger uma Assembleia Constituinte.

Os pioneiros da “Primavera Árabe” acumularam-se este domingo em longas filas para participar num escrutínio histórico.

O correspondente da euronews, Sami Fradi, diz que “a elevada taxa de participação, com eleitores de todas as idades, aproxima a eleição do seu propósito: um voto verdadeiramente popular”.

A atenção da comunidade internacional também esteve e continua a estar mobilizada, já que a Tunísia serve de indicador para as profundas mudanças em curso no mundo árabe.

O escrutínio tunisino foi acompanhado por 13500 observadores nacionais e internacionais.

O chefe da delegação de observadores do Parlamento Europeu afirma que “as caras das pessoas dizem mais do que todo o processo. Existe simultaneamente serenidade e alegria, ao ponto de se verem pessoas, novas e velhas, com lágrimas nos olhos”.

Os primeiros resultados provisórios poderão ser conhecidos ainda hoje, mas os números oficiais só deverão ser anunciados na terça-feira à tarde.

O partido islâmico moderado Ennahda é apontado como favorito para vencer as eleições, mas deverá ser obrigado a procurar parceiros de coligação.