Última hora

Última hora

Merkel: "reforço do FEEF não envolve participação do BCE"

Em leitura:

Merkel: "reforço do FEEF não envolve participação do BCE"

Tamanho do texto Aa Aa

O reforço do fundo de resgate europeu é necessário e imprescindível. A mensagem foi deixada por Angela Merkel no parlamento alemão.
 
As alterações ao FEEF propostas pelo governo de Merkel foram a votos antes da cimeira dos líderes europeus.
 
A chanceler alemã refere que Bruxelas vai debater o alargamento do fundo de resgate europeu de forma a evitar o contágio da crise, adianta, que em cima da mesa estão duas opções, mas garante que nenhuma delas envolve a participação do Banco Central Europeu.
 
O Fundo Europeu de Estabilização Financeira deverá ser reforçado para mais de mil milhões de euros.
O Reino Unido já reagiu a outras das propostas de Merkel: a introdução de limites legais ao défice na constituição dos países da Zona Euro.
 
David Cameron afirma desconhecer quando poderão ser propostas estas alterações ou a dimensão das mesmas. O chefe de governo britânico prefere, por isso, e para já concentrar-se nas oportunidades em defesa do interesse nacional.
 
Os analistas defendem que só um compromisso político pode assegurar o equilíbrio das contas públicas.
 
Em tempos de crise, Cameron quer garantir que a economia britânica não perde terreno para o eixo franco-alemão.