Última hora

Última hora

Papandreou: "Está nas nossas mãos mudar"

Em leitura:

Papandreou: "Está nas nossas mãos mudar"

Tamanho do texto Aa Aa

George Papandreou declarou, esta noite, que a crise trás “oportunidades” e o acordo “o tempo” que a Grécia precisa para fazer as reformas.

O primeiro-ministro grego fez uma declaração ao país, onde afirmou que os esforços estão a dar resultado, mas que é preciso não parar:

“Temos de continuar a trabalhar intensamente, temos de mudar as coisas que nos ofendem todos os dias. As coisas não vão mudar de um dia para o outro e as repetidas críticas não fazem sentido. Está nas nossas mãos mudar tudo o que é injusto e que nos prejudica e investir no que pode tornar este país diferente”, referiu.

O discurso de Papandreou foi recebido com desconfiança pela população, que vê um futuro negro pela frente.

“As medidas são insuportáveis, as pessoas estão afogadas em problemas e acho que ainda vamos ver pior. O pior ainda está para vir”, afirmava um grego após escutar a comunicação.

Os gregos têm consciência que as cartas do seu destino são jogadas no centro da Europa. Temem a perda de soberania, conscientes que a economia dirige a política, deixando pouco espaço de manobra aos governos nacionais. O futuro da União parece cada vez mais passar por uma maior integração económica e fiscal dirigida a partir do coração do velho continente.