Última hora

Última hora

Sede de jornal satírico atacada em Paris

Em leitura:

Sede de jornal satírico atacada em Paris

Tamanho do texto Aa Aa

A sede do semanário humorístico francês, “Charlie Hebdo”, foi atacada esta noite com cocktails Molotof. Praticamente tudo o que se encontrava no interior do edifício ficou destruído.

O jornal volta esta quarta-feira a fazer humor com a figura de Maomé. O diretor da publicação, Charb, acusa islamitas radicais de estarem na origem do ataque.

“É um ato de três idiotas islamitas, não tem nada a ver com os muçulmanos que vivem em França. É uma minoria não representativa que pratica este tipo de violência. Se se pode brincar com quase tudo em França e falar de tudo, menos do Islão e das consequências do islamismo, torna-se um pouco complicado”.

Nesta edição, o Charlie Hebdo imagina Maomé como chefe de redação e pôe-no a decifrar humoristicamente a aplicação da sharia, a lei islâmica, nos países onde ocorreram as revoluções da “primavera árabe”.

A manchete, que já ontem estava na internet, provocou imensas reações negativas e o sítio web do Charlie Hebdo foi mesmo pirateado.

O jornal parisiense esteve na mira de algumas organizações islâmicas e foi levado a tribunal em 2007, por causa da publicação das caricaturas de Maomé.