Última hora

Última hora

A voz dos estudantes em Doha

Em leitura:

A voz dos estudantes em Doha

Tamanho do texto Aa Aa

Os estudantes querem ser ouvidos na Cimeira Wise, em Doha. Trinta alunos, de diferentes países, participam, pela primeira vez, nos debates, seminários, e outros eventos da terceira edição do World Innovation Summit for Education, no Qatar.

Ronel Lefranc vem do Haiti e estuda agronomia: “Espero que desta cimeira, que reúne muitos peritos em educação de todo o mundo, possam sair ideias concretas e práticas que conduzam a mudanças radicais ao nível do setor educativo no mundo.”

Têm entre 18 e 25 anos e passam o dia no twitter a colocar informação sobre a cimeira. A tecnologia é, para eles, uma ferramenta importante na educação.

Fei Chen vem da China e está a fazer um mestrado em educação e tecnologia: “Estamos preocupados em encontrar formas inovadoras de aplicação das novas tecnologias ao estudo e à vida quotidiana para encorajar os estudantes e para que possam comprometer-se mais.”

Pretendem criar uma rede global para estudantes com formas inovadoras de aprender e ensinar. Para isso, formal e informalmente, partilham as suas opiniões com os delegados, professores e peritos.

Mohamed Farag, estudante de engenharia eletrónica, vem do Egito: “Entrevistamos delegados na cimeira, filmamos as entrevistas e colocamo-las no nosso blog. Não é um trabalho profissional mas tentamos fazer o nosso melhor, obter muita informação do entrevistado, conhecer aquilo que estão a fazer e qual é a receita para o sucesso.”

Eles sabem que têm um papel importante na revolução educativa, veem-se como futuros líderes e estão conscientes de que participar num evento internacional como este é um privilégio.