Última hora

Última hora

Grécia à espera de novo primeiro-ministro

Em leitura:

Grécia à espera de novo primeiro-ministro

Tamanho do texto Aa Aa

A Grécia aguarda impaciente pelo anúncio do nome do novo primeiro-ministro.

Mesmo assim a grande maioria da população não acredita que as mudanças políticas se repercutam na vida de todos os dias.

O país vai ser dirigido por um governo de coligação interino. Georges Papandreou deixa o executivo e os Gregos poderão eleger uma nova equipa governativa no dia 19 de fevereiro.

Nas ruas de Atenas, Stravos diz que não tem quaisquer expectativas “Se as pessoas mudarem e não perceberem como é que têm que votar não vai acontecer nada. Só muda se nos chatearmos. Quando as pessoas se enervam e há uma revolta as coisas mudam.”

Já Giorgios acredita que “não há líderes políticos para recuperar a economia”, defende este grego. “É o princípio e o fim de um Estado. Isto ficou provado com o falhanço do último governo e do governo anterior a esse e de todos os governos. Não basta termos um primeiro-ministro ou um ministro qualquer. Ele tem que ter apoio.”

George é engenheiro civil e está mais otimista. “Acho que vai ser um dia melhor, uma nova semana, um novo dia para a Grécia e para a economia da Grécia. Ouvi dizer que vai haver eleições no dia 19 de fevereiro e acredito que vai ser um dia melhor. Pode acreditar.”

Ao início da noite de domingo, os dois principais partidos políticos gregos chegaram a acordo para a formação de um governo de unidade nacional.

A reunião entre o primeiro-ministro Georges Papandreou e o líder da oposição conservadora, Antonis Samaras, durou cerca de uma hora. Desgastado com a gestão da crise, Papandreou não integrará o executivo interino.