Última hora

Última hora

Hans-Werner Sinn: "O perigo de desmantelamento da zona euro é real"

Em leitura:

Hans-Werner Sinn: "O perigo de desmantelamento da zona euro é real"

Tamanho do texto Aa Aa

A moeda única enfrenta a sua maior crise desde que foi criada, com as dívidas soberanas de alguns países da Zona Euro a causarem “decapitações” nos governos. Os últimos dias foram marcados pela demissão de Georgios Papadreou, primeiro-ministro da Grécia, que será governada por um executivo de unidade nacional até Fevereiro de 2012.

Mas também o chefe do governo da Itália, Silvio Berlusconi, teve de admtir que já não tem capacidade de manobra depois da terceira maior economia da União Europeia ter entrado na mira dos mercados, que desconfiam da sua capacidade de pagar a dívida.

Sobre estes temas, o correspondente da Euronews Rudolf Herbet entrevistou o professor Hans-Werner Sinn, um destacado economista alemão e director do prestigiado Ifo – Institute for Economic Research, sedeado em Munique.

Rudolf Herbert/Euronews (RH/Euronews): “Professor Sinn, nestes últimos dias, as taxas de juro para empréstimos à Itália subiram acentuadamente. A Itália tem um problema de credibilidade ou de dívida?”

Hans-Werner Sinn/Ifo – Institute for Economic Research (HWS/IIER): “Ambos! A Itália não usou a vantagem de baixos juros criada pelo euro para fazer poupança. O euro colocou a Itália no mesmo nível que a Alemanha em termos de taxa de juro – e mesmo na Alemanha essa taxa era muito baixa! Se a Itália tivesse poupado nessa altura, o país quase não teria hoje dívida soberana. Mas o dinheiro tem sido usado no orçamento corrente. E agora a dívida é – em relação ao Produto Interno Bruto – tão alta quanto antes do euro. Mas a situação é ainda mais grave porque a Itália já não pode desvalorizar a moeda!”

RH/Euronews: “O que é que a Itália tem de fazer?”

HWS/IIER: “A Itália tem de convencer os seus credores de que será capaz de pagar a dívida. E isso só é possível se o país começar a poupar. Tem de travar os défices e começar a criar excedentes – algo que precisa de começar quanto antes”.

RH/Euronews: “A sexta tranche de ajuda à Grécia ainda não foi entregue, mas já ficou decidido perdoar parte da dívida. Também já foi decidido que o país receberá um segundo pacote de resgate. Isso não significa que terá de haver depois novo perdão?”

HWS/IIER: “Os problemas da Grécia não se resolvem com perdões de parte da divida. A Grécia é demasiado cara e precisaria de desvalorizar a moeda em 44%, só para ficar ao nível dos preços praticados na Turquia, se isso fosse possível. Esta é a verdade amarga. Mas essa seria uma desvalorização tão grande que não poderia ser feita dentro da zona euro. Este é o principal problema. O país tornou-se demasiado caro por causa do crédito barato, que chegou à Grécia através do euro. E agora ninguém sabe como resolver a situação.”

RH/Euronews: “Mas pode a Grécia ser salva com a ajuda de Bruxelas?”

HWS/IER: “Não”.

RH/Euronews: “O que recomendaria à Grécia, ao povo grego?”

HWS/IER: “Penso que há apenas um caminho para a Grécia: sair da zona euro temporariamente, desvalorizar a moeda até que o país volte a ser competitivo e também converter as dívidas em dracma (anterior moeda), ou seja, desvalorizar também as dívidas. Desta forma, os saldos dos bancos e da economia real poderiam ser mantidos mais ou menos em boa ordem. Tudo o mais – por exemplo, uma desvalorização no interior da zona euro, ao reduzir os salários e os preços – simplesmente não é possível. Os sindicatos recusarim, o país iria ficar à beira de uma guerra civil”.

RH/Euronews: “E isso acionaria o muito temido efeito dominó?”

HWS/IER: “Se a Grécia permanecer no interior do euro, haverá em qualquer caso um efeito dominó, porque os outros países do euro vão gastar uma avultada quantia de dinheiro para salvar a Grécia. Nesse caso, outro país precisaria ser salvo: Portugal. E, nesse caso, a Itália iria contar também com a ajuda. Isso não levaria a lado nenhum, só a uma perpetuação da falta de competitividade e a altos custos que ninguém estaria disposto a pagar.”

RH/Euronews: “Existe o perigo da zona euro encolher – ou até de ser desmantelada?”

HWS/IER: “O perigo de desmantelamento da zona euro é real, todos o sabem agora! Esperamos que não aconteça, e que se encontre uma forma de o evitar”.