Última hora

Última hora

Antoni Segura: "- Há que melhorar as leis do Trabalho para que os imigrantes não fiquem indefesos"

Em leitura:

Antoni Segura: "- Há que melhorar as leis do Trabalho para que os imigrantes não fiquem indefesos"

Tamanho do texto Aa Aa

Para perceber melhor o impacto da crise na imigração espanhola falamos com Antoni Segura, catedrático de História contemporânea da Universidade de Barcelona.

Javier Villagarcía, euronews – Em setembro passado a população imigrante baixou, pela primeira vez em 13 anos, em Espanha, como explica esta descida?

- Esta descida tem bastante a ver com a crise económica atual, que também afeta gravemente a Espanha e que, consequentemente, tem grande importância na alta taxa de desemprego em poucos anos. Os mais frageis e os primeiros a perder o emprego são os imigrantes. Evidentemente que, não havendo trabalho, procuram outras opções ou regressam aos países de origem.

euronews – Outro fenómeno migratório é dos estudantes universitários que também não encontram trabalho, ou tem propostas de trabalho mal pago em relação às competências. Pensa que a crise está a provocar uma fuga de cérebros?

Antoni Segura -Sem dúvida. E considero esse fenómeno particularmente grave. Há aqui um investimento importante por parte do Estado que não se recupera porque estes jovens, incapazes de encontrar emprego aqui, correspondente ao nível de competência, vão ser obrigados a procurar no estrangeiro. Por isso se trata de um investimento a fundo perdido ou quase.

euronews – Independentemente do governo que se formar depois das eleições, que políticas acha que se deviam desenvolver para atenuar estes dois fenómenos?

Antoni Segura – Deviam fomentar-se políticas que garantam a estes jovens poderem encontrar um trabalho em Espanha e terem um futuro profissional no país; caso contrário, é absurdo manter este investimento que depois se perde para o estrangeiro.

No que concerne a imigração, aqui o mercado é mais flutuante. O que há a regular são as leis do trabalho, o enquadramento laboral, para que estes imigrantes não se encontrem em situação de impotência de ou de abusos por parte de empresários sem escrúpulos, e principalmente, legislar ou vigiar bem mais de perto todas as empresas que não cumprem as condições legais ou que são claramente ilegais.

euronews – Espanha tem o desemprego mais elevado da União Europeia… quase 5 milhões de desempregados como se explica que em semelhante situação não se haja mais problemas sociais?

Antoni Segura – Há de facto zonas escuras na economia espanhola, quando digo zonas escuras refiro-me a que ainda fica uma parte importante de economia submersa o que explica que as pessoas consigam sobreviver até ao fim do mês. Fazem determinados trabalhos que não estão contabilizados ou que não figuram nas estatísticas.

Neste caso, penso que é preciso relativizar os 20%, e por outra parte é evidente também que as políticas sociais impulsionadas pelo governo, principalmente na primeira legislatura, deram um nível de cobertura que permite sobreviver ao desemprego durante um tempo. É verdade que isso também se esgota e evidentemente, se a situação continua assim, não excluo que haja momentos de tensão social.