Última hora

Última hora

Begnini ironiza no PE sobre "quedas" de governos europeus

Em leitura:

Begnini ironiza no PE sobre "quedas" de governos europeus

Tamanho do texto Aa Aa

Convidado para a cerimónia de comemoração dos 150 anos da unificação da Itália, no Parlamento Europeu, Roberto Begnini chegou com o habitual largo sorriso. O actor, guionista e realizador italiano usou a actual dificuldade de locomoção para fazer uma das suas primeiras piadas da sessão.

“Obrigada amigos, viva a Itália. Peço desculpa pelo gesso, mas infelizmente foi atingido em Itália por alguém que decidiu dar um passo atrás… Não é verdade: eu caí – estamos na época das quedas em Itália!”, disse sob uma chuva de aplausos.

O comediante estabeleceu depois uma ligação entre a anunciada demissão do primeiro-ministro italiano e a situação belga.

“De momento não temos governo. É o modelo belga. Um modelo magnífico. Observava os belgas e tinha inveja: mais de 15 meses sem governo e nós lá tínhamos de ter um”, brincou.

Além das ironia sobre a situaçao política europeia, Begnini recitou de cor partes da obra “Divina Comedia”, de Dante.

Mas voltaria à actualidade, glosando sobre o facto do Berlusconi ter dito há dias que a hotelaria em Itália não revela sinais de crise: “Finalmente pude comer mexilhões com batatas fritas, em Bruxelas. Há muito tempo que não comia bem em Itália, apenas uma lata de atum. É que não se consegue um lugar num restaurante, estão todos cheios! É incrível, convido-os a irem lá”.

Roberto Benigni não deixou de mencionar a situação na Grécia, o país mais atingido pela chamada crise da dívida soberana na zona euro. Disse que os gregos contribuíram muito para a cultura ocidental e que, só por isso, merecem que cada europeu lhes dê um euro por dia.