Última hora

Última hora

Chema Ruiz: "Lei eleitoral espanhola viola a essência democrática"

Em leitura:

Chema Ruiz: "Lei eleitoral espanhola viola a essência democrática"

Tamanho do texto Aa Aa

Para saber mais sobre o 15-M ligamos a Madrid, a Chema Ruiz, advogado.
Desde o início da Plataforma dos mais Afetados pelas Hipotecas representa as vítimas da bolha imobiliária em Espanha.
 
Beatriz Beiras, euronews – Que pedem aos bancos e às autoridades espanholas para aliviar o drama de tantas famílias que ficaram sem a casa e com as dvidas?
 
 
Chema Ruiz, advogado e membro do 15 M -Na verdade, aconselho as vítimas. Aliás, estou a chegar da polícia…
 
E as reivindicações são muito claras, muito concisas: é que se faça uma moratória sobre as expulsões, imediatamente, e aque deixemos de explulsar pessoas de casa delas, porque falamos de mais de um milhõe e meio de famílias afetadas pelas expulsões.
 
Por outro lado, pedimos uma lei que  possibilite o reembolso da dívida hipotecária com a entrega do alojamento. Por agora, pomos as pessoas fora e exigimos que continuem a pagar até ao fim da vida.
 
Uma terceira medida consiste em criar um parque público de alojamentos estatais, que se destine ao arrendamento social, que garanta a morada como um direito humano.
 
E a quarta e última medida, seria aplicar uma medida fiscal sobre as casas vazias, que neste momento, em Espanha são três milhões e mio.
 
 
euronews -   Que género de medida fiscal?
 
C.R. – Um imposto principalmente para os grandes proprietários e especuladores  responsáveis pela bolha imobiliária, que se lhes aplique um imposto pour ter essas casas vazias sem que as famílias possam aceder a elas.
 
 
euronews – Desde o 15-M que se critica muito a lei eleitoral espanhola, a principal crítica é que reduz a representação democrática e consagra o bipartidarismo. Explique-nos porquê e o que propõe.
 
 
C.R. – De facto, estamos a falar de uma lei eleitoral que favorece os interesses dos grandes partidos e os acordos a que chegam com alguns nacionalismos periféricos.
 
Por exemplo, um partido pequeno como Esquerda Unida, com 7,5%, pode obter  8 deputados, enquanto um partido como a Convergência i Uniu (nacionalista catalão de direita, com um 3,5% dos votos iria ter 13 (deputados).
 
 
Alám disso, o PSOE obtendo quatro vezes mais votos do que a Esquerda Unida, por exemplo, ia obter praticamente 8 vezes mais deputados.
 
É um sistema eleitoral que não representa a essência democrática de “uma pessoa, um voto”, pelo contrário, viola-a.
 
E a reivindicação fundamental, sem entrar em mais detalhes, é simples: que haja uma circunscrição eleitoral única, e que realmente a partilha dos lugares seja proporcional e se respeite o princípio de  um voto por pessoa. e daí a percentagem de votos e o n° de deputados.
 
euronews -  Protestos como os do 15M foram copiados por outros países da Europa e da América. Que futuro acha que vão ter? Vão ficar-se pela contetsção ou evoluir com compromissos?
 
 
C.R. - Estou convencido de que o movimento 15 M vai continuar a crescer e a convergir com outros movimentos, com outras plataformas que lutem contra o neoliberalismo selvagem que tentam aplicar-nos. Juntos, conseguiremos por formar uma coluna vertebral que vença o sisema atual.