Última hora

Última hora

Espanha: Rajoy e Rubalcaba encerram campanha centrada na crise

Em leitura:

Espanha: Rajoy e Rubalcaba encerram campanha centrada na crise

Tamanho do texto Aa Aa

A campanha eleitoral para as legislativas em Espanha encerrou esta sexta-feira com comícios que não esconderam o quadro de profunda crise e elevado desemprego em que decorre o escrutínio.

As sondagens anunciam a vitória do Partido Popular, com a possibilidade de obter uma maioria absoluta.

O líder da principal força da oposição sublinhou que a situação do país necessita de “muito esforço” e não será resolvida “por arte de magia”. Mariano Rajoy defendeu que “é urgente devolver ao país a imagem mundial que tinha, de uma potência criadora de emprego, uma nação forte ouvida pelo mundo e à qual ninguém tinha de dizer o que é preciso fazer”.

As eleições antecipadas foram convocadas depois da queda do governo socialista de Zapatero.

Apesar das sondagens o darem como derrotado, o atual líder do PSOE, Alfredo Pérez Rubalcaba, não desarma e acusa o Partido Popular de não clarificar o programa de governo.

Rubalcaba disse que “quando há crise, incerteza e angústia, quanto muitos cidadãos perderam os empregos, quando há pais que pensam que os filhos vão viver pior que eles e – o que é mais grave – quando há filhos que acreditam que vão viver pior que os seus pais, não se pode pretender dirigir o governo sem dizer ao país aquilo que se vai fazer”.

O movimento dos “Indignados”, que se voltou a manifestar esta noite em frente ao Banco de Espanha, em Madrid, promete manter-se mobilizado e diz-se disposto a voltar à rua assim que o novo governo revele as medidas de austeridade, que se preveem draconianas.