Última hora

Última hora

Egito: exército ergue barreiras à volta da praça Tahrir

Em leitura:

Egito: exército ergue barreiras à volta da praça Tahrir

Tamanho do texto Aa Aa

O Exército egípcio ergueu barricadas para separar manifestantes e forças de segurança nas ruas que conduzem da praça Tahrir do Cairo ao ministério do Interior.

Foi nestas ruas que se deram os principais confrontos dos últimos dias, que constituíram a maior vaga de violência no país desde a revolta popular que derrubou o regime de Mubarak.

Para além das dezenas de mortos, os confrontos fizeram mais de 2000 feridos, a maioria devido à inalação de gás lacrimogéneo e balas de borracha disparadas pelos militares.

O general Taher Abdullah diz que “ninguém pode negar que o que se passou na rua Mohammed é lamentável. O Exército também lamenta e decidiu que a melhor forma é separar ambos os lados para proteger os manifestantes”.

Um líder religioso faz apelo “a todos os imãs que venham à rua para ajudar a acalmar os espíritos e parar o banho de sangue”.

Um artista que participa nas manifestações explica que “as reivindicações dos revolucionários são a constituição de um conselho de unidade nacional, que o Exército regresse às casernas e a instauração de um Estado egípcio moderno”.

O enviado especial da euronews ao Cairo, Riad Mouasses, diz que “a poucos dias das eleições, a visão política no Egito parece bastante complicada, entre os manifestantes que se encontram na praça Tahrir, um governo demissionário e um Conselho Militar que recusa partir sem um referendo”.