Última hora

Última hora

Egipto: confrontos em Alexandria enquanto Cairo vive enorme protesto pacífico

Em leitura:

Egipto: confrontos em Alexandria enquanto Cairo vive enorme protesto pacífico

Tamanho do texto Aa Aa

Apesar da calma ter regressado à capital egipcía, a cidade costeira de Alexandria foi palco de confrontos entre manifestantes e as forças de segurança.

Cerca de dez mil pessoas sairam à rua para exigir que o Conselho Militar abandone imediatamente o poder, rejeitando a escolha de Kamal el-Ganzouri como primeiro-ministro.

Pelo menos um manifestante e um polícia ficaram feridos nos confrontos em Alexandria.

Depois de uma semana marcada pela violência e que se saldou em mais de quarenta mortos e milhares de feridos, a emblemática praça Tahrir viveu esta sexta-feira, num ambiente pacífico, uma das maiores jornadas de protesto desde a revolução que derrubou Hosni Mubarak.

A escolha de el-Ganzouri – que dirigiu já um governo sob o regime do antigo presidente – dividiu ontem os manifestantes no Cairo.

Contestada na praça Tahrir, a nomeação era celebrada por milhares de apoiantes do Exército a pouca distância.

Uma manifestante fazia questão de “lembrar aos que protestam na praça Tahrir que são todos egípcios”, dizendo que “o exército e a polícia estão a defender os egípcios”.

A União Europeia condenou, no entanto, a força “excessiva” das forças de segurança egípcias nos últimos dias e apelou à transferência “rápida” do poder para uma autoridade civil.